top of page

STARTUPS, FINTECHS E BIGTECHS, QUAIS AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS


Nos últimos anos foi possível ver um crescimento mundial surpreendente das startups, fintechs e bigtechs. São empresas de tecnologia completamente inovadoras no mercado, e apesar disso, ainda é extremamente normal que a desinformação seja mais comum que um conhecimento básico sobre um assunto.


Atualmente estamos enquadrados na Indústria 4.0, ou seja, onde o modo de produção e os serviços deixam de depender de instalações financeiras e equipamentos, podendo ser desenhados a partir de tecnologias virtuais.


O principal objetivo da maioria dessas tecnologias é trazer conforto e praticidade aos seus clientes, priorizando, portanto, suas necessidades reais. E essa é a área de atuação das empresas que vamos tratar hoje. Para entender melhor a diferença entre essas três modalidades de negócios, precisamos primeiramente ver um pouco mais sobre cada uma delas.


STARTUPS


São empresas conhecidas por estarem começando agora, ou seja, sem tanta experiência. Elas também visam um crescimento rápido, mesmo que o lucro demore a vir.


As startups se utilizam dos meios digitais para buscar por financiamento e crescimento. Esse tipo de organização também pode ser caracterizado por explorar novas formas de fazer negócio, com um viés extremamente tecnológico.


Esse tipo de empresa também possui algumas características bem marcantes, como a escalabilidade — que significa o aumento de produção e das vendas sem aumentar o custo —, a ligação com a tecnologia e o seu baixo custo em relação aos outros tipos de negócio.


FINTECHS


As fintechs são a união entre o mundo financeiro e a tecnologia. Elas visam o desenvolvimento de tecnologias e ações para resolver problemas existentes no universo financista através de produtos e serviços inovadores online. Os exemplos reais que temos mais perto de nós, dessa junção, são as contas digitais em bancos, cartões de crédito e débito, seguros, etc.


Podemos observar, também, que há uma possibilidade extremamente real de que existam fintechs que sejam startups, como é o caso da Creditas, Nubank e Picpay, por exemplo.


O melhor exemplo das mudanças proporcionadas pela expansão das fintechs é a consolidação dos bancos digitais. Geralmente, elas trilham o caminho para se tornarem bigtechs, mas muitos começam a oferecer seus serviços sem uma agência sequer.


DIFERENÇA ENTRE STARTUPS E FINTECHS


Essas empresas apenas se destacam pela diferença no segmento de atuação. A startup atua em qualquer setor do mercado (alimentício, tecnológico, varejo…), enquanto a fintech atua exclusivamente no mercado financeiro. Então, por consequência, uma startup que atua no mercado financeiro é automaticamente chamada de fintech.


BIGTECHS


São as empresas responsáveis por moldar a forma de trabalho, comunicação, compras e consumo das pessoas. O grande objetivo aqui é criar um modelo de negócio que seja ágil e escalável, utilizando-se da tecnologia.


As bigtechs costumam ser startups porque tem o modelo de negócio com as características de escalabilidade e inovação. A grande diferença, no entanto, é o tamanho da empresa. Temos como bigtechs atualmente Amazon, Microsoft, Apple, Meta, etc. Todas essas organizações, no entanto, começaram como startups para posteriormente se tornarem bigtechs.


O QUE ESSAS EMPRESAS TÊM EM COMUM?


Uma característica em comum é a rapidez com que essas empresas crescem, além de terem a capacidade de agilmente responder aos desafios do mercado. Ademais, os três tipos de empresa possuem um viés inovador, procurando outras maneiras de dispor e flexibilizar seus produtos ou serviços no mercado.


Você planeja criar sua própria startup ou fintech? Pode contar com a Manacá! Temos uma equipe de profissionais pronta para ser a assessoria completa da sua marca. Entre em contato conosco agora mesmo!

Comments


bottom of page